sábado, agosto 13, 2005

Sou o Fantasma de um rei



Sou o fantasma de um rei
Que sem cessar percorre
As salas de um palácio abandonado...
Minha história não sei...
Longe em mim, fumo de eu pensá-la, morre
A ideia de que tive algum passado...
Eu não sei o que sou.
Não sei se sou o sonho
Que alguém do outro mundo esteja tendo...
Creio talvez que estou
Sendo um perfil casual de rei tristonho
Numa história que um deus está relendo...



Fernando Pessoa

1 comentários:

Regina Cátia disse...

Passando para deixar flores e carinho...Um dia iluminado de paz!
"O tempo corre veloz e a vida escapa das nossas mãos.Mas pode escapar como areia ou como semente."(Tomas Merton)