domingo, dezembro 31, 2006


Ultimos suspiros dos Gatinhos Voadores em 2006
Cá em casa somos 2/6.000 biliões avos, culpados pelo estado a que este mundo chegou com especial relevância para o meu país. Mas interrogo-me, não tenho o meu nome na lista de devedores ao fisco nem à segurança social, logo pago os meus impostos, na medida do possível contribuo pouquíssimo para o aquecimento global, pois cada vez gasto menos gasolina (ao preço que está). Insiro correctamente no ecoponto os materiais para reciclagem, tento resistir estoicamente à publicidade que nesta época nos invade a casa através dos media para gastarmos à farta, oferecer só uma prenda de natal a uma criança hoje é um crime, pois suas excelências já nasceram habituadas a receber montes delas (isto em países desenvolvidos, “como o nosso”, é claro que cada vez mais parece um país virtual, pois todos se queixam, mas telemóveis de 150 euros são prendas corriqueiras), tal é o desenvolvimento, que temos cerca de mil e tantos cursos superiores e no entanto se alguém desejar arranjar trabalho é muito mais fácil se tiver ou declarar que só tem o ensino básico, ainda com a agravante de que, com tanta massa cinzenta somos o país mais pobre da CE.
Somos ainda cidadãos bem informados, até já sabemos que, ainda o ano novo não nasceu e já temos uma larga quantia de Euros, predestinada a sair dos nossos parcos rendimentos para os aumentos de ano novo com que os nossos democráticos governos nos presenteiam todos os anos (sem ser admiradora do tempo da outra senhora, lembro-me no entanto de um dos Primeiros Ministros da altura, nos anos 60, vir a TV pedir desculpa à Nação, por ter de aumentar as carcaças, pão para quem não souber, mais dois tostões).
Escândalo monumental é o aumento de 6% (mais uma benesse do nosso governo, pois deveria ser 17%), na conta da electricidade, isto não obstante os milhões de Euros de lucro da empresa fornecedora de electricidade, mas que se há-de fazer, nós, os consumidores é que somos os culpados pois temos sempre a alternativa da luz da vela (candeeiro a petróleo não, pois polui e está pela hora da morte).
Por tudo isto e muito mais que tornaria este comentário numa lista extensa e chata de ler, venho por este meio pedir ao Santo cujo nome ainda não foi divulgado e que vai presidir ao ano 2007, uma bonificação nos impostos, para mim e para todas as outras poucas (parece que só quem trabalha é que paga impostos), famílias que cumpram os seus deveres fiscais e que estejam a fazer cortes nos seus orçamentos familiares para fazer face à vida.

Subscrevo-me com toda a amizade do mundo (parece que ainda não se lembraram de criar um imposto para isso), enviando um grande abraço e votos de um Bom Ano 2007 a todos os amigos dos Gatinhos Voadores.

P.S.: Convém não esquecer que, têm direito ao Natal, sómente os povos bem comportados do chamado mundo ocidental e desenvolvido, ou seja cerca de 1/3 da população mundial.


Fui destaque na Regina que teve a paciência de escrever os nomes de todos os amigos, obrigada Regina Bee


Roubei um beijo à Colilbry

Resolvi acrescentar à postagem o selo de quem voltou para o nosso convivio a Manuela mais conhecida por Kaldinhas quem não se lembra dela?....Bem vinda amiga que foste quem me deu força quando comecei.




Mais um acrescente na minha postagem recebi um convite hoje da Marli de Princesa mariana
. Aqui deixo o convite tal como recebi.

MEUS QUERIDOS AMIGOS
AMANHÃ DIA 03/01/2007



COMPLETAREI DOIS ANOS DE BLOGUEIRA
E GOSTARIA DE RECEBER MEUS AMIGOS



PARA COMER UM PEDAÇO DE BOLO
PODE FICAR SOSSEGADOS QUE O BOLO
É VIRTUAL E NÃO ENGORDA (RISOS).

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Espero que tenham tido um Bom Natal, sinto-me cansada não sei se da ansiedade dos dias que antecederam ao Natal se da época em si.
É a hora do descanso do Pai Natal, com ele eu vou também descansar estes dias.
Por isso aqui fica o meu desejo que entrem bem no Novo Ano.
Agradeço a todos que durante este ano me acompanharam com palavras que me fizeram sentir bem e feliz.
Tenho saudades da Mochinha da Kaldinhas que me enviou as Boas festas, e de todos que por alguma razão foram deixando de aparecer.
Gostava de poder falar de todos com uma palavra especial, mas sinto que não teria palavras que pudessem expressar o meu apreço por todos, por isso deixo um beijinho para cada um.

Pai Natal e a sua origem
Photobucket - Video and Image Hosting

A origem do Pai Natal é incerta e cercada de histórias. A mais conhecida vem do século IV e fala sobre Nicolas, nascido em 281, que tornou-se bispo de Myra, na Ásia Menor. Conta-se que seus pais tiveram dificuldades para ter filhos, até que nasceu Nicolas. Dando graças pelo fato, eles passaram a distribuir alimentos, roupas e dinheiro aos pobres, até que vieram a falecer devido a uma epidemia. Nicolas herda a grande fortuna de seus pais, torna-se bispo e continua o trabalho de ajuda aos necessitados. Nicolas viveu na época do Imperador Diocleciano, em Roma, e é representado ainda hoje, na Europa, usando vestes de bispo, com um bastão numa das mãos e um saco de presentes na outra. Morreu no ano de 350 d.C. Passou a ser conhecido por S. Nicolas. À medida que a lenda sobre seus feitos foi sendo passada através das culturas alemã e holandesa, o bispo tornou-se Sinterklass, Saint Nicoleses e finalmente Santa Claus ou Santa Klaus. O Papai Noel é amado pela crianças e respeitado pelos adultos. Pai Natal não pode ser visto pelo prisma científico ou religioso. Ele é mágico. Não é branco, negro ou oriental. É um ser capaz de unir a humanidade em torno de coisas boas: amor, ternura, paz, sentimentos, carinho, gestos.

terça-feira, dezembro 19, 2006


NATAL
O Natal está quase a chegar mais uma vez, e faz-nos parar para pensar nas dificuldades que enfrentamos durante o ano, e isto nos dá a oportunidade para reflectir sobre quantas coisas boas fizemos e quantas deixamos de realizar, que a alegria do natal nos dê a certeza, que novos tempos surgirão, que a celebração do Natal promova a paz entre os homens.


Hoje aqui deixo receita de Azevias foi o que estive fazer esta manhã. Espero que gostem.
Não sei se virei ainda antes do Natal aqui publicar, senão vier sabem que me lembrarei de todos durante esta quadra.E que tenham um Bom Natal.


Azevias de batata-doce ou de grão
Ingredientes
500 g de farinha
4 colheres de margarina
1 cálice de aguardente
Sal q.b.
1 kg de batata doce ou de grão
750 g de açúcar
2 limões
1 colher de sobremesa de canela em pó
3 gemas

Coza as batatas ou o grão em agua temperada com sal, pele e pique ( eu faço com grão que já vem cozido vendido em frascos).
Leve o açúcar ao lume com 2 dl de água deixe ferver durante 2 minuto se junte o puré ou de grão ou de batata, a canela e a casca dos dois limões. Deixe ferver, mexendo sempre, até se ver o fundo do tacho. Retire do lume tire o pau de canela e as cascas do limões, junte as gemas com cuidado, para não talharem, e volte ao lume para cozer as gemas. Deixe ficar de um dia para o outro.
Faça uma cova no meio da farinha e deite a margarina derretida junte a aguardente e amasse, juntando pingos de água morna temperada com sal. Bata bem a massa e deixe repousar em ambiente temperado. Estenda com o rolo e recheie com o doce feito na véspera. Corte em meias luas, frite em óleo bem quente e polvilhe com açúcar e canela.
E bom apetite.

domingo, dezembro 17, 2006









Agradeço a todos os que me deixaram os parabéns no dia do meu aniversario, quero deixar aqui uma fatia do bolo que a minha família me ofereceu, este lindo bolo com a foto do Blog, Gatinhos Voadores, por saberem que eu gosto muito do meu Bloguinho.
Deixo também fotos da minha gata Xé, tenho pena que a minha mãe não tenha tido tempo para me dar os parabéns mas talvez para o ano ela se lembre. Aqui ficam mais uns cartões bonitos que recebi. Tenho estado ausente para fazer as prendas de Natal os sabonetes de glicerina natural, e ando a fazer um xaile para dar a uma amiga, que tem um já velhote e precisa de um novo.



Querida Aldora!..Neste dia tão especial para ti,só quero,que tua vida seja,de felicidade,por tudo que tu és,por toda a ternura que dás aos teus amigos,pela doçura do teu Blog,pelo que sinto,quando abro o teu Blog,feito com muito amor,onde colocas,os teus gatinhos,os teus familiares,os teus amigos,e muito mais.
Amiga Beijo grande e xi coração do Norte ao Sul,de uma amiga,que tem fé de um dia te conheçer.
DIA 12 O SAGITÀRIO anda por aí,com o coração cheio de AMOR.BJS
Maria Elisa






Aldora querida:
justamente hoje meu mouse resolveu ter um ataque de piti!
Mas parece que vou conseguir mandar seu cartão! É simples, não sei
fazê-los como os seus, mas é de coração!

Bjks Tetê




Aldora

Quiz dar-te os meus parabens pelo teu aniversário mas o teu blog não me deixou comentar.
Aqui vai um grande abraço das amigas que não se esquecem da ajuda tão preciosa dos primeiros tempos do nosso blog. A ti devemos a linda árvore do nosso template.de que não queremos desfazermo-nos nunca mais.
Um grande beijo da Luisa e da Jo







Lenda do Pinheirinho de Natal
Quando o Menino Jesus nasceu, todas as pessoas ficaram alegres.
Crianças, homens e mulheres vinham vê-lo, trazendo presentes pobres e ricos.
Perto do estábulo, onde dormia o Menino Jesus, num berço de palha, havia três árvores:
uma palmeira, uma oliveira e um pinheiro. Vendo aquela gente que ia e voltava, passando em baixo dos seus galhos, as três árvores quiseram também dar alguma coisa ao Menino Jesus.
- Eu vou dar a minha palma maior e mais bela para que ela abane docemente o Bebê - disse a palmeira.
- Eu vou apertar as minhas olivas, o óleo servirá para amaciar os seus pezinhos - disse a oliveira. - E eu? Que posso dar? - perguntou o pinheirinho.
- Você? - responderam as outras.
- Você não tem nada para dar!
Suas agulhas pontudas poderiam picar o Menino Jesus.
O pobre pinheirinho sentiu-se muito infeliz e respondeu tristemente:
- É mesmo. Vocês têm razão. Nada tenho para oferecer.
cerejeira e a laranjeira, que haviam oferecido tanto flores quanto frutos.
Do pinheiro, porém, ninguém colheu nada. Pontudas folhas, ásperas pinhas, não eram dons apresentáveis. O pinheiro reconheceu sua nulidade. E não se sentindo a altura da conversa, rezou em silêncio:
“Meu Deus recém-nascido, o que Vos oferecer? Minha pobre e nula existência, alegremente Vou-a dedicar, com grande agradecimento por me teres criado na vossa sabedoria e bondade” Um anjo que estava ali perto, escutou a conversa e teve pena do pinheirinho, tão humilde, tão triste, que nada podia fazer porque nada possuía.
Lá no céu as estrelinhas começavam a brilhar.
O lindo anjinho olhou para o alto e chamou-as.
No mesmo instante elas desceram com boa vontade e foram colocar-se sobre os ramos do modesto pinheirinho que ficou iluminado.!
Lá no bercinho, dentro do estábulo, os olhos do Menino Jesus brilharam ao ver aquela árvore tão linda.!
É por isso que as pessoas, até hoje, enfeitam com luzes o pinheiro, no tempo do Natal.

terça-feira, dezembro 12, 2006

Recebi os Parabéns da Itay e da sua mamã Jucimara, que de férias não se esqueceram dos meus anos, o blog delas é

Recebi da Cris a voz doce do Brasil a única com quem falei para a conhecer é clicar no cartão


Querida amiga Aldora,



Muitas felicidades nesta data
e por toda a sua vida.
Beijinhos sempre da amiga
Cristina Sueta.
Presente do blog pra você.






Querida Aldora.
O que dar de presente a uma pessoa tão especial como você? Resolvi colocar nesta caixinha, coloquei um raiozinho de sol.


Assim nos dias em que estiver triste, feche seus olhos e imagine abrindo a caixinha... Que ele te traga felicidades, pois este é meu maior desejo.
FELIZ ANIVERSÁRIO!
Um beijo com todo meu carinho.
Regina






Olá querida tudo bem?
Estou te mandando por e-mail uma lembrancinha que fiz pela passagem de seu aniversário, vi que era hoje quando estive lá em seu blog.
Parabéns, Paz, Saúde e Muitas Felicidades!
Que Deus abençoe você.
Espero que não repare no cartão pois ainda estou aprendendo a lidar com o PSP...rs.Mas fiz de coração.


Beijos linda e tenha um dia de aniversário iluminado.
Fique com Deus.
Regina/RêLua

http://relua03.blog.uol.com.br





Aldora: Feliz dia de aniversário !!!!

Junto uma "prenda" com os meus sinceros votos de muitos PARABÉNS.
Muita saúde, alegria e felicidades, extensivos a todos os teus familiares, e que este dia se repita por muitos e longos anos.

Que tudo corra conforme tu desejas !

Beijinhos
Filipe













Hoje é Dia do Meu Aniversário
Gostava de encontrar todos os meus amigos,
aqueles que passaram pela minha vida por um segundo
mas também aqueles que conseguiram eternizar
ou na minha vida ou dentro do meu coração.


Não digo que tenha muitos amigos,
mas através dos Gatinhos Voadores fiz alguns
pelos quais tenho muito carinho.
Todos os seres humanos nascem com um
potencial infinito para criar coisas.
Porém, durante a infância e adolescência e
à medida que crescemos, vamos absorvendo
o que a sociedade nos tem para dar,
perdemos a rota original de nossa própria existência,
passamos a estar defensivos,
pouco abertos à tal criatividade e até mesmo,
pouco receptivos a novas amizades.
Mas como já estou na fase decrescente,
bem vindos todos os que queiram ser meus amigos,
Beijinhos.
Esta rosa guardada tem um ano e foi dada pela o Quico do Ventor faz hoje um ano, vês tenho tratado bem dela.







FÁBULA DA CONVIVÊNCIA

Durante uma era glacial, muito remota, quando parte do globo terrestre esteve coberta por densas camadas de gelo, muitos animais não resistiram ao frio intenso e morreram, indefesos, por não se adaptarem as condições do clima hostil.
Foi então que uma grande manada de porcos-espinhos, numa tentativa de se proteger e sobreviver, começou a se unir, e juntar-se mais e mais. Assim cada um podia sentir o calor do corpo do outro. E todos juntos, bem unidos, agasalhavam-se mutuamente, aqueciam-se enfrentando por mais tempo aquele Inverno tenebroso. Porém, vida ingrata, os espinhos de cada um começaram a ferir os companheiros mais próximos, justamente aqueles que lhes forneciam mais calor, aquele calor vital, questão de vida ou morte e afastaram-se feridos,
magoados, por não suportarem mais tempo os espinhos dos seus companheiros.

Doíam muito...



Mas essa não foi a melhor solução: afastados, separados, logo começaram a morrer congelados.
os que não morreram voltaram a se aproximar, pouco a pouco, com jeito, com precauções, de tal forma que, unidos, cada qual conservava
uma certa distância do outro, mínima, mas o suficiente para conviver,
resistindo à longa era glacial.

Sobreviveram...

É fácil trocar palavras, difícil é interpretar os silêncios!
É fácil caminhar lado a lado, difícil é saber como se encontrar!
É fácil beijar o rosto, difícil é chegar ao coração!
É fácil apertar as mãos, difícil é reter o seu calor!
É fácil sentir o amor, difícil é conter sua torrente!

Que possamos nos aproximar uns dos outros com amor e serenidade de tal forma que nossos
espinhos não firam as pessoas que mais amamos.
(Autor Desconhecido)

Não queria que ficasse esquecida a nossa amiga Mary que fez ontem anos, muitos parabéns para ela.para a visitar é só clicar no cartão


quinta-feira, dezembro 07, 2006

Cris amiga muito obrigada pelo teu cartão lindo. O site da Cris tem lindas coisas para enfeitat no Natal os Blogs, basta carregar no cartão ou ir a este endereço http://www.petitecherie-blog.com

Quando chega a quadra Natalícia fico sempre com vontade de fugir do mundo, o mundo cor-de-rosa que nos é apresentado no Natal, é efémero, nos dias que o procedem tudo é esquecido e as vidas voltam a ser cinzentas e enfadonhas, isto para não contar que muito provavelmente só um terço da população terá essa falsa sensação de alegria e amor, pois há milhões e milhões de seres humanos que nem sabem o que isso é e que nesse mesmo dia morrem milhares de crianças ser uma gota de água ou um naco de pão para comer.

Agora vou contar vos a história de uma menina que também não gostava muito do Natal.
Era uma vez uma menina que nasceu de uma família remediada, não era por falta de dinheiro para os brinquedos recebidos que se sentia triste no Natal, mas por causa da falta de amor e alegria no seu lar.
Os pais casaram muito novos mas só passados uns anos tiveram essa filha, ao que parece nem sempre se deram muito bem, a Mãe dizem que era muito bonita, o Pai muito ciumento, ora esses dois factores causavam uma mistura explosiva.
Aos 5 anos os pais separam-se, mas como é normal nestas situações, com a pressão dos familiares mais próximos logo se voltaram a juntar, aos 6 anos os pais separaram-se de vez e desmancharam o seu lar, os seus brinquedos que para a época eram bastantes foram colocados em sacos, só os voltou a ver já adolescente e grande parte deles tinha-se estragado, por estarem guardadas em dispensas e arrumos menos convenientes.
Para piorar a situação descobriu que não havia Pai Natal, conta ela que ao passar o Natal em casa de uma tia, viu na dispensa um certo embrulho que era do feitio de um chapéu-de-chuva, como o da Mary Poppins, não é que o mesmo veio a aparecer na manhã seguinte na chaminé como sua prenda de Natal. Porém as prendas das primas, eram daquelas que só um Pai Natal vindo da Lapónia poderia ter trazido, lindíssimas, para que quer uma criança de 6 anos um chapéu-de-chuva, aí ficou a perceber que o Pai Natal não era o mesmo. Apesar disso fingiu que não tinha percebido e pensou que o melhor era imaginar que talvez um dia ele aparecesse mesmo.
Nos Natais seguintes, foi pedindo ao Pai Natal e ao menino Jesus, a simples visita da sua mãe, pois estava separada dela há muito tempo, mas ela nunca apareceu, o pai tinha-a escondido em casa de familiares, para que ela não a pudesse ver, por sua vez os seus tios tentaram que a mãe a fosse visitar, mas ela por medo ou por outra razão nunca o fez.
Como já perceberam, os Natais dessa menina passaram a ser em casa de outros tios que, apesar da falta dos seus pais, sempre fizeram o possível por colmatar a falta dos mesmos. Uma das tias fazia um presépio em cima de uma grande mesa, tinha para aí uns cinco metros de comprimento e um metro de largura, cheia de montes cobertos de musgo, moinhos, moleiros com sacos de farinha, figurinhas pequeninas todas lindas, havia um rio com água verdadeira e arvores feitas de pequenos ramos, não faltava a searinha do menino Jesus, que era feita com antecedência e propositadamente com sementes de trigo de modo a que, em Dezembro ficasse uma seara linda, em ponto pequeno é claro.

Mais tarde, já adolescente voltou-se a encontrar com sua mãe e o que mais a surpreendeu nesse encontro foi a voz dela, tinha-se esquecido completamente da voz da mãe.
Daí em diante passou novamente a estar com os pais no Natal, a véspera em casa do Pai e o dia de Natal com a mãe. Hoje, diz não se recordar dos presentes que recebeu durante esse período, certamente não eram tão importantes, como ter Mãe e Pai que a amassem ainda que separados, mas não foi por muitos Natais que teve a companhia da Mãe, pois ela tinha refeito a sua vida e constituído outra família, saiu do país, e passaram anos sem se falar, nem um cartão de Natal.
Se bem que por motivos diferentes também não falasse com o pai há muitos anos, no Natal em que ela tinha pensado fazer as pazes com o pai, quis o destino que o mesmo falece-se nos primeiros dias de Dezembro.
Foi nessa altura que a menina fez as pazes com a mulher que agora era e tentou esquecer todos os Natais passados.


Kika do concelho que me viu nascer, e como pelo que percebi também gostas de scraps aqui deixo este cartão de Natal para ti.
Beijinhos para todos






Queria deixar aqui um espaço muito bonito feito pela Ket

sábado, dezembro 02, 2006

O meu blog teve 20.000 visitas não pensei que algum dia fosse assim tão visitado. Fico contente porque me esforço, para fazer os meus bonecos, claro não pode sobreviver só dos bonecos por isso vou da forma que sei arranjando textos para eles.

Deixo um selo para quem quiser levar das 20.000 visitas, no lado esquerdo, obrigado por seres um dos 20.000
Os valores humanos estão distorcidos, hoje em dia, palavras como amizade, amor, compreensão, respeito são apenas parte de um vocabulário, nada mais, mas aqui no blog encontrei o inverso, muito carinho e amor.



Por vezes acho que nada tem interesse para as pessoas lerem, não gosto de fazer juízos nem de falar do que não tenho a certeza e só afirmo qualquer coisa quando estou certa de ser verdade.
Pois então vou contar uma verdade boa, que me sucedeu num dia destes.
Em Julho desapareceu-me uma gata, ela era especial porque era diferente, era surda e talvez também com mais algum atraso, fiquei muito triste. Agora um dia destes ouvi miar no meu quintal pensei logo que seria ela, mas infelizmente não era ela, mas sim um gatinho super meigo que me adoptou de imediato, é dos bichos mais meigos que já vi, claro que não substitui a outra bichinha mas fiquei contente que ele tenha vindo fazer parte da nossa casa.


Sobre a vida
Não sei ...
se a vida é curta ou longa
mas sei que nada do que vivemos tem sentido,
se não tocamos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser:

colo que acolhe,
braço que envolve,
palavra que conforta,
silêncio que respeita,
alegria que contagia,
lágrima que corre,
olhar que acaricia,
amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela não
seja nem curta, nem longa demais,
mas que seja intensa, verdadeira,
e pura ... enquanto durar ...
(autor desconhecido)

terça-feira, novembro 28, 2006

O meu template foi feito em Pachwork, por simbolismo, nesta época de Natal em que quase tudo é de usar e deitar fora, compram-se prendas para oferecer mas a essência do amor falha, lembrei-me de usar esta técnica de aproveitamento, de algo que já serviu antes e que pode voltar a servir, feito com amor.
Tenho uma colcha feita Patchwork muito bonita dada pela minha amiga São.
Também aproveitando calças de bombazina de várias cores e já em desuso fiz uma colcha com esta técnica. É necessária alguma paciência.

Sobre a história do Patchork aqui vai um pouco do que achei.

A tradução literal de Patchwork é "trabalho com retalhos". É uma técnica que une tecidos com uma infinidade de formatos variados. O patchwork é a parte superior ou topo do trabalho, já o trabalho completo é o acolchoado, formado pelo topo mais a manta acrílica e o tecido fundo, tudo preso por uma técnica conhecida como "quilting" ou acolchoamento
Como pratica habitual, o quilting retrocede a muitos séculos em muitas partes do mundo, mas como os tecidos são frágeis, são poucos os tecidos que chegaram até aos nossos dias são obras raras. A palavra quilt provem do latim "culcita", uma espécie de colchão ou almofadão enchido com algo macio e quente (assim como penas, lã ou cabelos) e usado para se deitar ou cobrir.
O Patchwork e quilt é um trabalho manual muito antigo. Já nas paredes das pirâmides construídas pelos Egípcios, vemos desenhos com faraós usando roupas de Patchwork e quilt.
Na Europa, durante a idade média, roupas de quilts eram feitas de sobras de tecidos para serem usadas como protecção por baixo das armaduras de ferro. Naquela época também eram feitas colchas para aquecimento. O patchwork e quilt na idade média era uma coisa mais utilitária. O patchwork e quilt se espalhou por diversos países da Europa como Inglaterra, Alemanha, França e Itália.
Os peregrinos, colonizadores dos Estados Unidos, que fugiam da Inglaterra devido a perseguição religiosa, levaram este artesanato para o Novo Mundo. Este colonizadores eram muito rígidos e as mulheres eram incentivadas a fazer trabalhos manuais para que o “demônio” não tivesse espaço em suas mentes. Estas mulheres só tinham permissão para sair de casa em duas ocasiões, para ir a igreja ou para ir às reuniões de quilteiras (quilting bees).
Nestas reuniões elas faziam colchas, roupas e cortinas, de retalhos de tecido ou mesmo de roupas velhas, porque não tinham dinheiro nem onde comprar tecidos. Em vez de costurar os retalhos de qualquer jeito as quilteiras pioneiras planejavam e costuravam formando padrões muito artísticos dando vazão às suas ambições, desejos, sentimentos e até mesmo suas posições políticas já que não tinham direito a voto. Naquela época todas as mulheres deveriam fazer 12 quilts antes de se casar (um quilt para cada mês do ano) e só então estariam prontas para casar.
Com a invenção da máquina de costura caseira em 1846, o patchwork e quilt passou a ser feito tanto à máquina quanto à mão. Após a segunda guerra mundial quando diversas mulheres foram trabalhar em indústrias e no comércio, houve um esquecimento do patchwork e quilt.
Na década de 70 houve um ressurgimento do patchwork e quilt, quando foram desenvolvidos diversos acessórios e instrumentos, como réguas e cortadores especiais, que, aliados ao uso da máquina de costura deram mais velocidade ao patchwork e quilt permitindo adaptar este trabalho manual ao ritmo de vida corrido do século 20 e 21. A indústria têxtil também passou a desenvolver estampas e cores especiais para o patchwork e quilt o que tornou infinita a paleta de cores e

estampas tornando tecidos em uma espécie de tintas e os quilts em verdadeiras obras de arte. Por isso hoje em dia o patchwork e quilt é considerado mais que um artesanato, é considerado também uma arte.


Quero também deixar os Parabéns a uma visitante especial a Maria Elisa, um bom dia para ti.

quinta-feira, novembro 23, 2006

Um pouco de mim, foto tirada no Domingo passado, e com ela fiz esta montagem. Estou de manga curta porque estive a jardinar e fiquei cheia de calor .

Muitas pessoas não fazem a mínima ideia do que me tem ajudado com o sites onde ensinam a fazer estas tags, como as que tenho feito para decorar o meu blog, são sites Holandeses, Italianos, até Japoneses, não entendo o que está lá escrito mas como as imagens que são uma linguagem universal passo a passo vou aprendendo, esta é uma das qualidades que tem o mundo visual.
Um beijinho para a uma amiga a Cláudia Stirner, também me ensinou no seu site. Boa viagem para ti Cláudia.
Image hosted by Photobucket.com
Respondendo ao desafio da Papoila e da Patty
dois em um, aqui vai um pouquinho de mim.
AS REGRAS

"Cada bloguista participante tem de enumerar cinco manias suas, hábitos muito pessoais que o diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher cinco outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do *recrutamento*. Além disso, cada participante deve reproduzir este regulamento no seu blogue."

Cada blogueiro participante tem de enumerar cinco


Das minhas manias...

1 Mudo o canal da televisão, assim que começam os anúncios.

2 Tenho por hábito de chegar cedo de mais, a qualquer horário estabelecido. No emprego chegava a estar uma hora antes. E não gosto de deixar tudo para a ultima da hora (por isso ando desaparecida,) estou comprando os ultimas prendas de Natal, porque as outras, já foram compradas ao longo do ano.

3 Perco o controle, ao ver uma barata, fico apavorada.

4 Não gosto de jogar. Porque não gosto de perder. Por isso se jogar é só na brincadeira a esconder cartas e fazer diabruras.

5 Gosto de ter flores verdadeiras numa jarra na casa de banho, mesmo que não tenha em mais lugar nenhum da casa.


As regras determinam que desafie cinco bloggers... e os escolhidos são:
Priscilla
Aline
Mestra dos sonhos
Lili
Eduarda





Um texto que achei bonito
A palavra tem uma força descomunal...
contém uma energia, sobrenatural...
Tanto agride e desconcerta quanto consola na hora certa...
Mal usada desencaminha e destrói
Bem aplicada, orienta e reconstrói...precipitada,

magoa e ofende reflectida, é escudo que defende...
Pode muito mais do que se imagina,
Deprime, mas acaba com a rotina;
Desfaz crenças e desperta a Fé;
Desencaminha e também orienta;
Liberta, aprisiona, apascenta...
Propala engodo, mostra verdade...
Expressa ódio, indiferença, calor
Liberando a energia nela contida podemos modificar nossa vida,
Externando positivamente de forma clara e consistente
que queremos, podemos e devemos Viver em Paz e com Amor!
Crendo, realizar-se-á,
Pela força que na Palavra há!
(Autor: Lauro Kisielewicz)

sexta-feira, novembro 17, 2006

"Estou para aqui sentada em frente ao computador a trabalhar. Como sabe bem nestes dias em que chove lá fora ficar no aconchego do lar…enroscadinha num cobertor e na companhia de uma musiquinha e dos meus gatitos. Mesmo que à frente esteja um computador e não um livro e na nossa mente esteja trabalho e não uma história qualquer que nos leve a um outro imaginário, é uma sensação fabulosa de conforto e bem-estar, que penso que apenas os dias de Inverno nos proporcionam. E estava eu aqui neste sossego junto com Charlie que me fazia companhia nesta agradável tarde, quando algo pequenito e chato nos veio perturbar. Uma mosca…uma simples e singela mosca conseguiu tirá-lo do sério e acordou-o.
"Abriu um olho e depois o outro, ficou à espreita…e não resistiu, deu um salto e lá foi ele atrás da mosca. Continuei o meu trabalho, vendo-o pelo canto do olho aos saltos e fazendo emboscadas à dita mosca. Passado algum tempo veio de novo aconchegar-se nas minhas pernas. Desistiu, pensei eu. Ou não…passado uns breves instantes a mosca veio de novo como que a provocar…fez-lhe uma tangente …e mais outra…e como gato que é gato não pode ficar-se quieto com tamanha provocação, zás entre um voo e outro lá foi ele de novo para trás da senhora mosca. Continuei a teclar enquanto eles andavam os dois numa roda viva. Quem os visse quase que parecia que brincavam um com o outro, a mosca fazendo voos rasos pelo chão junto a ele…e ele aos saltos feito louco. Até que de repente…de patas esticadas contra o sofá o Charlie parou. Parou e ali ficou, muito quieto e no que parecia, um grande dilema. Olhou para mim como que a pedir ajuda…”Que fazer?” parecia perguntar com os seus redondos olhos castanhos. Levanto-lhe a pata duvidando que ele tivesse mesmo apanhado a mosca, mas para grande surpresa minha ela saiu debaixo da pata dele e voou …E pronto lá recomeçou o jogo…a mosca voa, para cá para lá,…ele segue-a com o olhar e pula… Acho que vão ficar assim horas…"

Escrito por Filipa para os que não sabem é uma das minhas filhotas


GATO QUE BRINCAS NA RUA


Gato que brincas na rua
Como se fosse na cama,
Invejo a sorte que é tua
Porque nem sorte se chama.
Bom servo das leis fatais
Que regem pedras e gentes,
Que tens instintos gerais
E sentes só o que sentes.

És feliz porque és assim,
Todo o nada que és é teu.
Eu vejo-me e estou sem mim,
Conheço-me e não sou eu.

Poema "Gato que brincas na rua", de Fernando Pessoa.