segunda-feira, julho 03, 2006

Encontrei este texto tão actual, não resisti a coloca-lo aqui.
de
ALEXANDRE O'NEILL


NEUROPEU DE FUTEBOL
Photobucket - Video and Image Hosting


O que perde o futebol não é o jogo propriamente dito, mas todo o barulho que se faz à volta dele. É impossível a gente alhear-se do futebol, falado, comentado, transmitido, relatado, visto, ouvido, apostado, gritado, uivado, ladrado, festejado, bebido. O futebol passa deste modo a ser uma chateação permanente. É que não há tasca, pastelaria, sala de jogos, barbearia, recanto de jardim público, quiosque, bomba de gasolina, restaurante, Assembleia da República, supermercado, hipermercado, livraria, loja, montra, escritório, colégio, oficina, fábrica, habitação, diria até, onde, de algum modo, não se ouça falar do jogo que decorre, decorreu ou decorrerá. Quando há transmissão via TV ou Rádio, então a infernização é total. Passam sujeitos na rua de transístor aberto para ouvir o relato, para sofrer e fazer sofrer quem gosta (ou não) de futebol, ouvem-se súbitos gritos guturais, alarido dos diabos. Em casas de comida (pasto), pastelarias, etc., só se vê gente de pescoço esticado para o pequeno ecrã, alguns acompanhando simultaneamente com o rádio de bolso o jogo que está a ver. Isto sem contar com o que vem das residências particulares, quando o calor aperta e as janelas estão abertas. Depois, aparecem os jornais desportivos e os jornais não desportivos, os críticos, os especialistas, os entrevistadores, os grandes títulos verdadeiramente idiotas, como o da presente crónica, para não me furtar ao exemplo. Enfim, o País fica futebol.
É grave? Não é grave? Sei lá. Verifico, apenas, que é assim por toda a parte. E isto massacra, desgosta, faz perder a razoabilidade, a isenção, o bom senso, a simples tineta. Que o futebol pode ser um jogo lindo, emocionante, que dúvida! Ainda há momentos (estou a escrever no domingo) acabei de telever o Portugal-Espanha chutado e dei comigo aos pulos, abraçado a um filho de oito anos de idade - ainda relativamente ileso -, quando os nossos patrícios meteram o seu golo. Eu estava apanhado apenas por razões patrioteiras, que o jogo foi fraco, embora o golo tenha sido lindo.
Mas que vem a ser isto? Então eu que, ao contrário do que é costume, até gosto dos espanhóis, vou-me deixar caçar assim? Que tenho eu a ver, no fundo, com a equipa-de-todos-nós, agora exaltada num hino que dá vontade de rir?
Nestas coisas tem de ser cortar cerce: nunca mais vou chupar desse tabaco que se chama futebol. Em todo o caso, sempre quero dizer que eu, se fosse o Cabrita, tinha metido o Gomes, pelo menos na segunda parte, ou estarão a poupar-lhe as pernas para o Inter de Milão?

(1924-1986)

(in «Jornal de Letras»,
19.5.1984; in «Coração Acordeão»,
edição de Vasco Rosa,
«O Independente», com o
Patrocínio da Fundação Oriente,
Lisboa, 2004)



ALEXANDRE O'NEILL


ALEXANDRE MANUEL VAHIA DE CASTRO O'NEILL DE BULHÕES nasceu no dia 19 de Dezembro de 1924 na cidade de Lisboa - Portugal. Filho do bancário António Pereira de Eça O'Neill de Bulhões e de Maria da Glória Vahia de Castro O'Neill de Bulhões, dona de casa, Alexandre, depois de concluir os estudos do Liceu, ingressa na Escola Náutica de Lisboa.

Em 1944, após concluir o 1º ano, solicitou, junto à capitania de Lisboa, a cédula marítima, que lhe permitira exercer a função de piloto. O pedido lhe foi negado por causa da sua miopia. O´Neill, em entrevista ao semanário Expresso de 21/09/85, se manifestou assim sobre esse episódio:
"Já andei para marinheiro, mas pus óculos e fiquei em terra".

(
No dia 9 de Abril de 1986, Alexandre O´Neill é internado, após um ataque cardíaco, vindo a falecer em 21 de Agosto.

12 comentários:

Elke disse...

Oi Aldora, muito legal o texto que postou, realmente ele é muito atual.
Agora só nos resta torcer para a seleção de Portugal com o Felipão.
Boa sorte pra vcs, estarei torcendo de cá.
Bjs grandes pra vc e uma ótima semana :)

oteudoceolhar disse...

Minha querida menina dos gatinhos :)...saudadesssss obrigada pela tua atenção para comigo...está lindo o teu trabalho qualquer dia posso usar aquela imagem (colocando nome da autora claro ;))? Okha desculpa n ter dito nada mas tive o F.c.Faro cá no sabado por isso já sabes...;) tirei folga da solidão :)). è um facto o texto do post é realmente muito actual...e mesmo n gostando de bola vou sofrer até ao fim pelo meu Portugal....JINHOSSSS gandessss minha menina dos gatinhos continuação de um bom dia pa tiii ****

NADJA disse...

DESEJAMOS A VC UMA OTIMA SEMANINHA!!!
ROSA PARA VC!!!!!
.........~_
....._.;_'.-._
...{`--..-.'_,}
.{;..,__...-'/}
.{..'-`.._;..-';
....`'--.._..-'
........,--\..,-"-.
........`-...(..'-...
................;---,/
..........,-""-;
......../....-'.)..]
........,---'`...\
.......................|
PELA IMENSA BELEZA DA NATUREZA,TEMOS
A EXATA NOÇÃO DO IMENSO E INFINITO AMOR D E"DEUS" por nós.!
B-JUS
E TEM BÔLO NO KITUTES VAI LÁ!!!!!
http://kitutesdamamae.blogger.com.br/
E VAMOS CONTINUAR NOSSA CORRENTE
PARA A PITUQUINHA KATIANA!!!

Papoila disse...

Querida Aldora:
Este texto do Alexandre O' Neil está actualíssimo.
Parabéns pela sua escolha!
Não gosto de futebol mas... VIVA a selecção de todos nós!
Beijo

Quico disse...

Pois lá isso tudo é verdade. Mas queiramos ou não estamos apanhados por essa droga pior que cocaína.Espero que, para ser totalmente apanhado cheguemos a Berlim! Sabes que o Ventor ofereceu-me um cascol? E sabes que o meu cascol foi um sucesso? E que o Ventor pelo meu bom compartamento para com a Selecção Nacional, me ofereceu uma cama nova? À custa do futebol eu sou Rei! Será que o Scolri e os putos vão ser também? Não interessa. vamos a eles! Bjs.

Regina disse...

Bom dia Aldorinha!
Que há todo momento haja muita paz e harmonia em seu coração.
Obrigada pelo carinho no meu blog. Adoro seus recadinhos. Hoje também tem post no Entre Amigos, se puder passe por lá.
Tenha um lindo dia.
Beijinhos no core.
Regina

zalinha disse...

Gostei muito do texto e de facto muito actual...bjs e uma boa semana.

Lúcia disse...

Bem atual esse texto! E diz tudo... fazendo sentido!

Regina disse...

Oi Aldora!
Tudo bem com você, minha amiga?
Daqui a pouco meu coração estará juntinho ao seu torcendo para Portugal. Que vença o melhor!
Um beijo grande e boa sorte!
Regina

Monk disse...

Seu Cantinho do Miau, miau está lindo!!
Parabéns pelo trabalho.
Portugal está jogando neste momento, vamos ver se Filipão consegue, estou torcendo por Portugal.
Se cada gota enche um copo, eis uma gota deixando abraços e orações.
Volte sempre!!

Filipe Freitas disse...

Um texto sobre futebol mas que não deu para nos ajudar a eliminar a França e seguir em frente...
Então, Aldora, viajando nas minhas Ondas, http://praiadaclaridade.blogs.sapo.pt/ - um blog criado já há tempo para principiar e que ainda não passou disso... Só tem uma fotografia, mas espero colocar mais...
Eu não nasci em Lisboa mas tenho visitado a Capital muitas vezes...
Nasci e resido na Figueira da Foz.
Beijinhos.

Monk disse...

Hoje, quando Deus abriu a janela do céu, ele me viu e me perguntou: "Meu

filho, qual seu maior desejo para hoje?" Eu respondi: "Deus, por favor tome

conta da pessoa que está lendo este comentário, sua família, e seus amigos

especiais, eles merecem e eu os amo muito." É importante que se diga às

pessoas o quanto elas são importantes... Não basta amar as pessoas, é

importante que elas saibam o quanto são amadas! Se eu partisse hoje... Só

queria que vocês soubessem que... EU GOSTO MUITO DE VOCÊS, ALIÁS, AMO MUITO

VOCÊ! UM BOM FINAL DE SEMANA E ABRAÇÃOOOOOOOO....