sexta-feira, abril 28, 2006


Isto foi escrito no dia do eclipe do sol
Hoje levantei-me às 4h 30 m da manhã, estava com medo de não ver o eclipse do sol que era total, mas o sol só nasceu por volta das 5 horas da manhã, eu levantei-me e fiquei a ver pela janela estavam muitas arvores à frente fiquei a pensar que se ficasse á janela não ía perder o fenómeno pois o sol ainda estava muito baixo, resolvi me embrulhar num pano daqueles de praia não que estivesse frio mas porque me sentia mais segura o Carlos estava a dormir e tinha muito sono ainda o chamei mas desisti estavam muitas nuvens e tinham dito que se as nuvens continuassem talvez não desse para se ver, informei o Carlos que ia até a praia ver o Sol, e lá fui. Sentei-me na praia e fiquei a olhar o céu devido às nuvens não via muito bem o Sol à minha volta consegui ver dois pescadores á beira do mar a irem para a faina á direita havia um rapaz sentado percebi mais tarde a caminho da Pousada que era estudante. Ali estava quando se aproximou uma mulher talvez mais velha que eu e sentou ao meu lado e ficou feliz por me encontrar ali, tinha sido o filho que lhe tinha dito “mãe vai haver um negócio no céu você não vai ver não” ela resolveu acordar a filha mas esta não quis acordar aí ela resolveu ir só mas tinha medo se ficasse muito escuro foi quando me encontrou e ficou feliz por me ter como companhia, o sol começou a ficar descoberto das nuvens, e estava uma bola de fogo alaranjada ao mesmo tempo muito brilhante, parecia feita de cobre de seguida começou parecia uma nuvem a tapa-lo mas não era mesmo o eclipse que começara mas de um momento para o outro o vento levantou-se duas outras mulheres se aproximaram caladas, a primeira falou será que vai chover de seguida ficou noite escura foi muito rápido 2 minutos de escuridão eu nem sabia que era tão rápido assim, depois o uma nesga de luz apareceu e a luz foi voltando até voltar de novo a ser dia. As duas mulheres que tinham chegado depois começaram a falar a mais velha era muito velhinha e dizia Irgem Maria pensei que o mundo ía acabar a outra riu e disse mulher gestante não pode olhar estas coisas, a primeira disse “ isso é se for a lua, agora o Sol não faz mas aí começaram as três discutindo se a mulher gestante podia ou não olhar o céu ou se seria só a lua que era ruim para a mulher quando carrega filho na barriga, eu estava calada pensando porque para além dos pescadores no mar e um estudante só éramos nós mulheres que ali estávamos mulheres curiosas mulheres feiticeiras, que fecundadas pela terra pelo sol e pela lua com caminhos diferente se uniam para ver um fenómeno que os homens não se davam ao
trabalho de perder tempo para olhar. Elas se despediram de mim e seguiram seus caminhos Assim foi a minha visualização do eclipse os pássaros permaneceram por muito tempo calados como baralhados entre o dia e a noite eles que todas as manhãs me acordaram com os seus altos cantos o Bem-te- vi a Lavadeira os Pardais estiveram sempre mudos ainda tinha os sons das ultimas palavras da primeira mulher a contar para as outras:” foi a nuvem que tapou o Sol e fez noite escura, foi muito bonito a nuvem fazer noite”, pessoas simples com uma explicação simples.

Já cheguei e a pouco e pouco vou pôr as visitas em dia. Quando estive de férias não resisti a ir a Internet porque em qualquer lugarejo pequeno tem a disposição essa ferramenta e de forma não muito cara. e desta forma fui vendo os e-mails e vi as dificuldades para abrir o meu blog por isso vou ter mais cuidado para não colocar tão pesado,

a ver se abre mais rápido. Todas as minhas férias correram bem menos dois episódios que foi uma gatinha que resolveu adaptar-me e eu á noite fui colocar-lhe comida num terreno em frente há Pousada onde estava e fui atacada
por um formigueiro de umas formiguinhas maravilhosas que deixaram o meu pezinho em estado muito triste, outro foi na véspera de vir embora ouvi os Micos ou Saguins ou macaquinhos como se queira chamar, a chiar e resolvi filma-los para isso comecei a chiar da mesma forma parecida com a deles pouco depois tinha na arvore por cima de mim cheia deles, e como já devia saber nunca devemos interferir com a natureza para a não estragar, eles com o meu chamamento começaram saltando de ramo em ramo até que um deles saltou para um fio eléctrico pós os pezinhos num dos fios, as mãozinhas noutro e foi electrocutado, caio logo no chão morto fiquei tristíssima e sentindo-me muito culpada por o que aconteceu as pessoas locais informaram-me que acontece muita vez mas nada me tirou a minha tristeza. Fora isso aprendi com um pescador local que teve uma paciência infinita a fazer redes de pesca, ele levou-nos a ver recifes muito bonitos no mar onde não vão os turistas, gostava de colocar fotos mas tenho o digitalizador com problemas pois não está a funcionar logo que tenha fotos coloco. Dormi descansei e acho que melhorei dos ossos pois doem menos. Vou contar a forma como vi o eclipse do sol mas não agora, para a próxima postagem. Obrigada mais uma vez a quem me visitou na minha ausência .
Photobucket - Video and Image Hosting


visitem a Cris que tem coisas lindas este gatinho foi ela com muitos outros que me deu com muito carinho.