quarta-feira, maio 17, 2006

Olá hoje lembrei-me de falar sobre a VIOLÊNCIA que desabou na sexta-feira em S. Paulo porquê em S. Paulo? quando no nosso País temos tantos temas também neste momento polémicos, como o fechar de maternidades e de escolas do interior do nosso lindo País?
A razão é muito simples no domingo por volta da hora de almoço estavam a dar na televisão canal 2 um programa, que apanhei quase no fim, sobre como se vivia em S. Paulo, certas pessoas claro, mas bastantes. Em prédios como autênticos bunkers, com montes de câmaras, de filmar montes de seguranças, os carros grande parte deles a prova de bala, mesmo os de marcas menos boas, com G.P.S. para serem localizados em qualquer momento, já para não falar nos vidros que são completamente negros para não se ver para dentro, o medo de morrer ou de ser sequestrado é tão grande que grande parte das dessas pessoas deixaram mesmo de se deslocar de automóvel para o fazer por helicóptero, de casa para o emprego e vice-versa ou para as praias privadas claro. Existem empresas de aluguer desses helicópetros que alugam a várias pessoas ao mesmo para sair mais em barato, tem torres de controle só para esse meio de transporte.

Eu fiquei durante muito tempo a pensar sobre esta forma de viver, em que seres humanos, tem terror de outros seres humanos, em que deixam de conviver com todo o tipo de seres humanos com medo que seja o ultimo dia da sua vida. Como chegamos a este tipo de sociedade? Eu que gosto tanto de ver falar ouvir as pessoas, todas pobres ou ricas, nos transportes públicos, na rua aquele jeitinho de falar, aquele olhar maroto como é possível que se troque tudo isto pelo dinheiro, ele faz falta mas quanto baste, para se viver, dirão fala de barriga cheia, muitas vezes não gasto em muita coisa para ter outras. Sei viver com muito, e com pouco. Uma vez li que a melhor moeda de troca em todo mundo é educação e a cultura.
Uma coisa que me surpreendeu o ano passado nas férias em Genipabu, foi a falta de educação de pessoas que mais endinheiradas, de grandes cidades do Brasil tratavam os empregados, dos restaurantes etc. Ninguém gosta de ser mal tratado, talvez isso acumulado históricamente, faça que haja tantos deliquentes, nessas grande cidade? esta é uma das hipóteses que eu penso. Assim, falta habitações como deve ser, junto com falta de dinheiro e os Senhores mais ricos ainda a trata-los mal , será isso que faz o cocktail da violência?
Dirão mas que tem isso a ver connosco?! para esta estar para aqui a falar de S. Paulo?!
_ É simples parece-me a previsão futura das grandes cidades senão tivermos atenção á forma como nos damos com os outros, e nos vamos fechando em nós mesmos, desejando cada vez mais, só para nós e nossa família.
Nestas férias vi também crianças irem sozinhas, umas com as outras, para a praia brincar, rir com já não via há muitos anos numa alegria super saudável e no final irem para suas casas, com antigamente se brincava, sem os pais por perto mas seguras na sua inocência.
Como fomos perdendo essa alegria e tirando isso nas nossas crianças? !
Gostava que o nosso mundo fosse melhor por isso desabafo aqui hoje.