quinta-feira, novembro 02, 2006

OS DESTAQUES





Calcanhar-de-Aquiles
É uma das mais populares metáforas sobre a fragilidade humana. Tétis segurou seu filho Aquiles pelo calcanhar para mergulha-lo num rio egípcio que o tornaria invencível. Queria contrariar um oráculo que dizia que seu filho morreria na guerra de Tróia. Durante uma batalha, no entanto, Aquiles tomou uma flechada em seu único ponto vulnerável: o calcanhar, que não havia sido banhado no rio por sua mãe. A partir daí, a expressão calcanhar-de-aquiles indica um ponto fraco de uma pessoa.
Isto para dizer que o meu ponto fraco é ser esquecida, Patty ainda não respondi ao teu desafio mas vou ver se respondo.

Como consertar o mundo
Um cientista vivia preocupado com os problemas do mundo e estava resolvido a encontrar meios de minorá-los. Passava dias em seu laboratório em busca de respostas para suas dúvidas.
Certo dia, seu filho de sete anos invadiu o seu santuário decidido a ajudá-lo a trabalhar. O cientista, nervoso pela interrupção, tentou que o filho fosse brincar em outro lugar. Vendo que seria impossível removê-lo, o pai procurou algo que pudesse ser oferecido ao filho com o objectivo de distrair sua atenção. De repente deparou-se com o mapa do mundo, o que procurava!
Com o auxílio de uma tesoura, recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita adesiva, entregou-o ao filho dizendo:
- Você gosta de quebra-cabeças? Então vou lhe dar o mundo para consertar. Aqui está o mundo todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho! Faça tudo sozinho.
Calculou que a criança levaria dias para recompor o mapa. Algumas horas, depois, ouviu a voz do filho que o chamava calmamente:

- Pai, pai, já fiz tudo. Consegui terminar tudinho!
A princípio o pai não deu crédito as palavras do filho. Seria impossível na sua idade ter conseguido recompor um mapa que jamais havia visto. Relutante, o cientista levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança. Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares.
Como seria possível? Como o menino havia sido capaz?


- Você não sabia como era o mundo, meu filho, então como conseguiu?

- Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel da revista para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando você me deu o mundo para consertar, eu tentei mas não consegui. Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem que eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo.
texto tirado de:(http://www.portaldafamilia.org/)

terça-feira, outubro 31, 2006

O Sol e o ser Humano
Como a diminuição das horas de sol e luminosidade, em conjunto com o abaixamento drástico das temperaturas no Inverno, afectam a boa disposição e intervêm negativamente sobre o ser humano.
A luz é responsável pela regeneração hormonal e a sua falta influência o estado anímico, físico e mental. Talvez por isso eu ande como o tempo, com o transtorno
Afectivo Sazonal (gostaram do termo?), que é uma situação que afecta muitas pessoas, e cujos principais sintomas são apatia, tristeza, dificuldades em conciliar o sono, uma grande preguiça e mais alguns sintomas, ao que diz um artigo que li, mas que nem vos conto. A preguiça em mim tem sido tanta, que nem ao computador me apetece estar, para ajudar a situação estive sem Internet 3 dias, senti falta, mas que podia eu fazer, se o servidor resolveu estar sem funcionar. Já que falo em dormir aqui deixo um excerto de um texto.


Sonhar...

Não me refiro apenas ao sonho
que vem enquanto dormimos,
àquele recurso do inconsciente
para refazer energias,
para consolar-nos
em nossas irrealizações.

Esse sonho é reconfortador,
reconheço-o,
e tem sua valia.
Se não sonhássemos enquanto dormíssemos,
há muito que nossas energias

psíquicas e mentais estariam consumidas
e viveríamos praticamente em agonia,
sob o peso enorme e insuportável
de nossas frustrações.

Desejo-te, assim,
que tenhas essa espécie de sonho,
o transporte ao paraíso
e ao impossível
enquanto estiveres dormindo.
Mauricio Ponsancini



Uma Anedota

Padres na praia

Dois padres resolveram fazer férias no Algarve. No entanto decidiram que estas deveriam ser mesmo férias e portanto nada deveria identificá-los como membros do clero.
Logo que o avião aterrou dirigiram-se a uma loja de surfistas e compraram o último grito em calções, sandálias, t-shirts, óculos de sol, etc.
Na manhã seguinte, foram até à praia vestidos como verdadeiros turistas.
Estavam sentados nas suas cadeiras de praia a tomar uma cervejinha, enquanto gozavam o calor do sol, quando uma loura em topless, de fazer qualquer um perder a cabeça, se dirigiu na sua direcção.
Os dois padres não conseguiram evitar segui-la com o olhar.
Quando a jovem passou por eles, sorriu e individualmente cumprimentou-os: "Bom dia, Senhor Padre", "Bom dia, Senhor Padre", com um ligeiro aceno de cabeça e continuando no seu caminho.

Ficaram os dois siderados. Como era possível que ela os reconhecesse como padres?
No dia seguinte dirigiram-se de novo à loja de surfistas e compraram roupas ainda mais berrantes. De novo os dois padres se dirigiram para a praia para gozar o sol, as vistas e uma cervejinha.
Eis senão quando, a mesma loura de fazer perder a cabeça, desta vez numa tanguinha ultra reveladora, se aproximou deles e os cumprimentou: "Bom dia, Senhor Padre", Bom dia, Senhor Padre", após o que se dispunha a seguir o seu caminho.
O padre mais velho não se conteve e chamou-a:
- Um momento, menina...
- Sim?... - respondeu ela, com um sorriso nos lábios bem definidos e sensuais.
- Nós de facto somos padres e temos orgulho em sê-lo, mas como conseguiu descobrir isso?
- Senhor Padre! Sou eu! A Irmã Amélia!

O que recebi da Ket