sábado, dezembro 02, 2006

O meu blog teve 20.000 visitas não pensei que algum dia fosse assim tão visitado. Fico contente porque me esforço, para fazer os meus bonecos, claro não pode sobreviver só dos bonecos por isso vou da forma que sei arranjando textos para eles.

Deixo um selo para quem quiser levar das 20.000 visitas, no lado esquerdo, obrigado por seres um dos 20.000
Os valores humanos estão distorcidos, hoje em dia, palavras como amizade, amor, compreensão, respeito são apenas parte de um vocabulário, nada mais, mas aqui no blog encontrei o inverso, muito carinho e amor.



Por vezes acho que nada tem interesse para as pessoas lerem, não gosto de fazer juízos nem de falar do que não tenho a certeza e só afirmo qualquer coisa quando estou certa de ser verdade.
Pois então vou contar uma verdade boa, que me sucedeu num dia destes.
Em Julho desapareceu-me uma gata, ela era especial porque era diferente, era surda e talvez também com mais algum atraso, fiquei muito triste. Agora um dia destes ouvi miar no meu quintal pensei logo que seria ela, mas infelizmente não era ela, mas sim um gatinho super meigo que me adoptou de imediato, é dos bichos mais meigos que já vi, claro que não substitui a outra bichinha mas fiquei contente que ele tenha vindo fazer parte da nossa casa.


Sobre a vida
Não sei ...
se a vida é curta ou longa
mas sei que nada do que vivemos tem sentido,
se não tocamos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser:

colo que acolhe,
braço que envolve,
palavra que conforta,
silêncio que respeita,
alegria que contagia,
lágrima que corre,
olhar que acaricia,
amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela não
seja nem curta, nem longa demais,
mas que seja intensa, verdadeira,
e pura ... enquanto durar ...
(autor desconhecido)

terça-feira, novembro 28, 2006

O meu template foi feito em Pachwork, por simbolismo, nesta época de Natal em que quase tudo é de usar e deitar fora, compram-se prendas para oferecer mas a essência do amor falha, lembrei-me de usar esta técnica de aproveitamento, de algo que já serviu antes e que pode voltar a servir, feito com amor.
Tenho uma colcha feita Patchwork muito bonita dada pela minha amiga São.
Também aproveitando calças de bombazina de várias cores e já em desuso fiz uma colcha com esta técnica. É necessária alguma paciência.

Sobre a história do Patchork aqui vai um pouco do que achei.

A tradução literal de Patchwork é "trabalho com retalhos". É uma técnica que une tecidos com uma infinidade de formatos variados. O patchwork é a parte superior ou topo do trabalho, já o trabalho completo é o acolchoado, formado pelo topo mais a manta acrílica e o tecido fundo, tudo preso por uma técnica conhecida como "quilting" ou acolchoamento
Como pratica habitual, o quilting retrocede a muitos séculos em muitas partes do mundo, mas como os tecidos são frágeis, são poucos os tecidos que chegaram até aos nossos dias são obras raras. A palavra quilt provem do latim "culcita", uma espécie de colchão ou almofadão enchido com algo macio e quente (assim como penas, lã ou cabelos) e usado para se deitar ou cobrir.
O Patchwork e quilt é um trabalho manual muito antigo. Já nas paredes das pirâmides construídas pelos Egípcios, vemos desenhos com faraós usando roupas de Patchwork e quilt.
Na Europa, durante a idade média, roupas de quilts eram feitas de sobras de tecidos para serem usadas como protecção por baixo das armaduras de ferro. Naquela época também eram feitas colchas para aquecimento. O patchwork e quilt na idade média era uma coisa mais utilitária. O patchwork e quilt se espalhou por diversos países da Europa como Inglaterra, Alemanha, França e Itália.
Os peregrinos, colonizadores dos Estados Unidos, que fugiam da Inglaterra devido a perseguição religiosa, levaram este artesanato para o Novo Mundo. Este colonizadores eram muito rígidos e as mulheres eram incentivadas a fazer trabalhos manuais para que o “demônio” não tivesse espaço em suas mentes. Estas mulheres só tinham permissão para sair de casa em duas ocasiões, para ir a igreja ou para ir às reuniões de quilteiras (quilting bees).
Nestas reuniões elas faziam colchas, roupas e cortinas, de retalhos de tecido ou mesmo de roupas velhas, porque não tinham dinheiro nem onde comprar tecidos. Em vez de costurar os retalhos de qualquer jeito as quilteiras pioneiras planejavam e costuravam formando padrões muito artísticos dando vazão às suas ambições, desejos, sentimentos e até mesmo suas posições políticas já que não tinham direito a voto. Naquela época todas as mulheres deveriam fazer 12 quilts antes de se casar (um quilt para cada mês do ano) e só então estariam prontas para casar.
Com a invenção da máquina de costura caseira em 1846, o patchwork e quilt passou a ser feito tanto à máquina quanto à mão. Após a segunda guerra mundial quando diversas mulheres foram trabalhar em indústrias e no comércio, houve um esquecimento do patchwork e quilt.
Na década de 70 houve um ressurgimento do patchwork e quilt, quando foram desenvolvidos diversos acessórios e instrumentos, como réguas e cortadores especiais, que, aliados ao uso da máquina de costura deram mais velocidade ao patchwork e quilt permitindo adaptar este trabalho manual ao ritmo de vida corrido do século 20 e 21. A indústria têxtil também passou a desenvolver estampas e cores especiais para o patchwork e quilt o que tornou infinita a paleta de cores e

estampas tornando tecidos em uma espécie de tintas e os quilts em verdadeiras obras de arte. Por isso hoje em dia o patchwork e quilt é considerado mais que um artesanato, é considerado também uma arte.


Quero também deixar os Parabéns a uma visitante especial a Maria Elisa, um bom dia para ti.