terça-feira, dezembro 19, 2006


NATAL
O Natal está quase a chegar mais uma vez, e faz-nos parar para pensar nas dificuldades que enfrentamos durante o ano, e isto nos dá a oportunidade para reflectir sobre quantas coisas boas fizemos e quantas deixamos de realizar, que a alegria do natal nos dê a certeza, que novos tempos surgirão, que a celebração do Natal promova a paz entre os homens.


Hoje aqui deixo receita de Azevias foi o que estive fazer esta manhã. Espero que gostem.
Não sei se virei ainda antes do Natal aqui publicar, senão vier sabem que me lembrarei de todos durante esta quadra.E que tenham um Bom Natal.


Azevias de batata-doce ou de grão
Ingredientes
500 g de farinha
4 colheres de margarina
1 cálice de aguardente
Sal q.b.
1 kg de batata doce ou de grão
750 g de açúcar
2 limões
1 colher de sobremesa de canela em pó
3 gemas

Coza as batatas ou o grão em agua temperada com sal, pele e pique ( eu faço com grão que já vem cozido vendido em frascos).
Leve o açúcar ao lume com 2 dl de água deixe ferver durante 2 minuto se junte o puré ou de grão ou de batata, a canela e a casca dos dois limões. Deixe ferver, mexendo sempre, até se ver o fundo do tacho. Retire do lume tire o pau de canela e as cascas do limões, junte as gemas com cuidado, para não talharem, e volte ao lume para cozer as gemas. Deixe ficar de um dia para o outro.
Faça uma cova no meio da farinha e deite a margarina derretida junte a aguardente e amasse, juntando pingos de água morna temperada com sal. Bata bem a massa e deixe repousar em ambiente temperado. Estenda com o rolo e recheie com o doce feito na véspera. Corte em meias luas, frite em óleo bem quente e polvilhe com açúcar e canela.
E bom apetite.

domingo, dezembro 17, 2006









Agradeço a todos os que me deixaram os parabéns no dia do meu aniversario, quero deixar aqui uma fatia do bolo que a minha família me ofereceu, este lindo bolo com a foto do Blog, Gatinhos Voadores, por saberem que eu gosto muito do meu Bloguinho.
Deixo também fotos da minha gata Xé, tenho pena que a minha mãe não tenha tido tempo para me dar os parabéns mas talvez para o ano ela se lembre. Aqui ficam mais uns cartões bonitos que recebi. Tenho estado ausente para fazer as prendas de Natal os sabonetes de glicerina natural, e ando a fazer um xaile para dar a uma amiga, que tem um já velhote e precisa de um novo.



Querida Aldora!..Neste dia tão especial para ti,só quero,que tua vida seja,de felicidade,por tudo que tu és,por toda a ternura que dás aos teus amigos,pela doçura do teu Blog,pelo que sinto,quando abro o teu Blog,feito com muito amor,onde colocas,os teus gatinhos,os teus familiares,os teus amigos,e muito mais.
Amiga Beijo grande e xi coração do Norte ao Sul,de uma amiga,que tem fé de um dia te conheçer.
DIA 12 O SAGITÀRIO anda por aí,com o coração cheio de AMOR.BJS
Maria Elisa






Aldora querida:
justamente hoje meu mouse resolveu ter um ataque de piti!
Mas parece que vou conseguir mandar seu cartão! É simples, não sei
fazê-los como os seus, mas é de coração!

Bjks Tetê




Aldora

Quiz dar-te os meus parabens pelo teu aniversário mas o teu blog não me deixou comentar.
Aqui vai um grande abraço das amigas que não se esquecem da ajuda tão preciosa dos primeiros tempos do nosso blog. A ti devemos a linda árvore do nosso template.de que não queremos desfazermo-nos nunca mais.
Um grande beijo da Luisa e da Jo







Lenda do Pinheirinho de Natal
Quando o Menino Jesus nasceu, todas as pessoas ficaram alegres.
Crianças, homens e mulheres vinham vê-lo, trazendo presentes pobres e ricos.
Perto do estábulo, onde dormia o Menino Jesus, num berço de palha, havia três árvores:
uma palmeira, uma oliveira e um pinheiro. Vendo aquela gente que ia e voltava, passando em baixo dos seus galhos, as três árvores quiseram também dar alguma coisa ao Menino Jesus.
- Eu vou dar a minha palma maior e mais bela para que ela abane docemente o Bebê - disse a palmeira.
- Eu vou apertar as minhas olivas, o óleo servirá para amaciar os seus pezinhos - disse a oliveira. - E eu? Que posso dar? - perguntou o pinheirinho.
- Você? - responderam as outras.
- Você não tem nada para dar!
Suas agulhas pontudas poderiam picar o Menino Jesus.
O pobre pinheirinho sentiu-se muito infeliz e respondeu tristemente:
- É mesmo. Vocês têm razão. Nada tenho para oferecer.
cerejeira e a laranjeira, que haviam oferecido tanto flores quanto frutos.
Do pinheiro, porém, ninguém colheu nada. Pontudas folhas, ásperas pinhas, não eram dons apresentáveis. O pinheiro reconheceu sua nulidade. E não se sentindo a altura da conversa, rezou em silêncio:
“Meu Deus recém-nascido, o que Vos oferecer? Minha pobre e nula existência, alegremente Vou-a dedicar, com grande agradecimento por me teres criado na vossa sabedoria e bondade” Um anjo que estava ali perto, escutou a conversa e teve pena do pinheirinho, tão humilde, tão triste, que nada podia fazer porque nada possuía.
Lá no céu as estrelinhas começavam a brilhar.
O lindo anjinho olhou para o alto e chamou-as.
No mesmo instante elas desceram com boa vontade e foram colocar-se sobre os ramos do modesto pinheirinho que ficou iluminado.!
Lá no bercinho, dentro do estábulo, os olhos do Menino Jesus brilharam ao ver aquela árvore tão linda.!
É por isso que as pessoas, até hoje, enfeitam com luzes o pinheiro, no tempo do Natal.