quinta-feira, dezembro 28, 2006

Espero que tenham tido um Bom Natal, sinto-me cansada não sei se da ansiedade dos dias que antecederam ao Natal se da época em si.
É a hora do descanso do Pai Natal, com ele eu vou também descansar estes dias.
Por isso aqui fica o meu desejo que entrem bem no Novo Ano.
Agradeço a todos que durante este ano me acompanharam com palavras que me fizeram sentir bem e feliz.
Tenho saudades da Mochinha da Kaldinhas que me enviou as Boas festas, e de todos que por alguma razão foram deixando de aparecer.
Gostava de poder falar de todos com uma palavra especial, mas sinto que não teria palavras que pudessem expressar o meu apreço por todos, por isso deixo um beijinho para cada um.

Pai Natal e a sua origem
Photobucket - Video and Image Hosting

A origem do Pai Natal é incerta e cercada de histórias. A mais conhecida vem do século IV e fala sobre Nicolas, nascido em 281, que tornou-se bispo de Myra, na Ásia Menor. Conta-se que seus pais tiveram dificuldades para ter filhos, até que nasceu Nicolas. Dando graças pelo fato, eles passaram a distribuir alimentos, roupas e dinheiro aos pobres, até que vieram a falecer devido a uma epidemia. Nicolas herda a grande fortuna de seus pais, torna-se bispo e continua o trabalho de ajuda aos necessitados. Nicolas viveu na época do Imperador Diocleciano, em Roma, e é representado ainda hoje, na Europa, usando vestes de bispo, com um bastão numa das mãos e um saco de presentes na outra. Morreu no ano de 350 d.C. Passou a ser conhecido por S. Nicolas. À medida que a lenda sobre seus feitos foi sendo passada através das culturas alemã e holandesa, o bispo tornou-se Sinterklass, Saint Nicoleses e finalmente Santa Claus ou Santa Klaus. O Papai Noel é amado pela crianças e respeitado pelos adultos. Pai Natal não pode ser visto pelo prisma científico ou religioso. Ele é mágico. Não é branco, negro ou oriental. É um ser capaz de unir a humanidade em torno de coisas boas: amor, ternura, paz, sentimentos, carinho, gestos.