sábado, janeiro 13, 2007


Um pouco de mim
Quando era miúda não queria ser, cabeleireira, médica outra coisa qualquer, a não ser costureira, isto porque as minhas colegas na escola primária faltavam às aulas para irem aprender o oficio, que era, costureira, eu morria de pena por não poder faltar à escola e fazer o que elas faziam. O meu pai bem me explicava que tinha de estudar e que isso era óptimo para o meu futuro, mas eu na minha inocência de criança não entendia, uma vez, ainda fui com uma colega ver aquilo que ela fazia, era tão giro, colocava alfinetes, fazia alinhavos, claro que o meu entusiasmo foi tão grande, que fiquei proibida de voltar a ir com ela. Depois como devia fazer uns desenhos engraçados e era tão pequena, todos me diziam que era uma artista, tinha que ser desenhadora.
Na verdade desenhadora não tinha dificuldade nenhuma, por isso tinha que ser essa a minha profissão, era simples. Vai daí que, após fazer o ciclo preparatório, dei comigo a estudar na Escola de Artes decorativas António Arroio. Daí a acabar o curso foi num instante, mas depressa percebi que ser artista não dava para encher a barriga ou para sustentar uma família. Claro assim que acabei o Curso achei que estava na altura de ter o meu próprio ordenado, tive sorte, que logo de imediato fiquei empregada como desenhadora numa grande empresa na época fazendo parte dos quatro desenhadores da Secção de Publicidade (há trinta e tal anos nem queiram saber a vaidade). Foram bons tempos, o ordenado era bom só tinha que seguir em frente, nem deu mais para pensar em prosseguir os estudos, as aulas de arquitectura naquele tempo eram uma seca tão grande (desenhar plantas de casas a “Rotring” marca do material para desenho profissional da época, com pormenores como, os lavatórios, as sanitas, as portas, janelas, paredes e tudo o mais), que depressa fiquei a detesta-las, as aulas de projecção também eram muito chatas, pois ter que imaginar os objectos no espaço em três dimensões (que maravilha hoje ver no computador os sólidos assim) a serem cortados por linha imaginárias. Por isso fiquei mesmo pelo meu cursinho da António Arroio, dois anos depois já era mãe e já não havia como para olhar para trás, tinha que sustentar a família e sempre para a frente, na época não tinha ajuda monetária da família nem pensava que isso fosse possível, hoje os pais vão sempre ajudando. Como dona de casa fui um desastre ao principio, nunca tinha cozinhado, sempre que fazia arroz ele crescia demais na panela, para fazer arroz para duas pessoas acabava por fazer arroz quase para um regimento, depois sempre tinha o meu marido mais experiente na cozinha que salvava a situação. Uma vez comprei erozes é da família das enguias, para fazer um ensopado, como a minha tia no Ribatejo fazia, bem, ainda hoje recordo, as bichanas a fugirem da panela pela cozinha fora, por de traz do fogão, por baixo, por tudo quanto era lugar, eu ia morrendo de medo aos gritos sem conseguir apanha-las, daí que até hoje nunca mais fiz as ditas bichanas, verdade seja dita que também hoje não se vende, tal é a iguaria que se calhar está em extinção. Resolvi então comprar uns livros de cozinha a um colega, na altura os livros custaram quase um mês de ordenado, mas ele dizia que podia pagar em prestações, como nunca gostei de prestações paguei a pronto e comecei a seguir as receitas passo a passo. Foi assim que cresci, de jovem a adulta, depressa sem muito tempo para pensar em outras vidas ou profissões, que não fosse trabalhar para criar as filhas que passaram a duas. Depois com o aparecimento dos computadores (quem precisa de desenhador), tive de aprender outras coisas como depois contarei, noutra altura.

20 comentários:

GATO ESCALDADO disse...

É o que chama o saber de experiências feito.Bjs

Maria Elisa disse...

Gostei deste teu texto sobre ti,amiga Arolda,mas sobre as ditas na panela,eu tenho pavor a enguias,nojo mas esse peixe não conheço,mas parecia eu ainda muito jovem e ter de matar uma galinha,não meti bem a faca e fiz a pobre andar na cozinha de cabeça ao dependuro,uma desgraça.Ainda hoje não mato nenhum animal galinha ou coelho não gosto.Amiga boa continuação de domimgo e beijinho grande de amizade.
Elisa

nadja disse...

....(¨`•.•´¨). ×`•.¸.•´×
... ×`•.¸.•´× OLHE A PREVISÃO DE TEMPO PARA ESSA SEMANA
QUE FOFURINHA!!!!!!!
PANCADAS DE FELICIDADES VÃO CAIR EM SEU CORAÇÃO!!!!
VAI FAZER SOL A TARDE TODA ,PARA AQUECER O SEU ESPIRITO
E A NOITE TERÁ TROVOADAS DE CARINHO ENVIADAS POR MIM !!!!!
TENHA UMA SEMANA ILUMINADA

Samara Angel disse...

oie amada amiga passando pra ver as novidades e deixar meu carinho e uma linda segunda feira iluminada ,bjsss

Castor (moi-je...ehe, ehe) disse...

Frase da semana: Se olhamos muito para trás ainda pensamos na morte da bezerra... o melhor é ser proactivo (este termo, não sei o que quer dizer, mas enche a boca...)e olhar para o futuro, seja lá o que for... Prontos... gostaste, Arodla? É quase como a previsão do tempo, mas que queres, o boletim está fraco hoje, ehe,ehe... CHUAC!

kaldinhas disse...

Este post em parte podia ser meu.Eu na cozinha,ainda um dia vou fazer rsrsrrs
Gostei de te conhecer um bocadinho melhor.Vejo q temos realmente muito em comum.
Bjos e boa semana

Quico disse...

Olha, mais uma migo que a Arodla nos trouxe! Olá, Rodinhas! Já conheces o Charlie? Oi! ... Oh, Arodla, então ias meter as bichinhas vivas na panela? Uma coisa é comer, outra coisa é fazer. O Ventor não pode ver cozinhar bichos vivos, nem caracósi! Caracol é bicho, não é? Tenho para aí uma carta de um desses amigos do Ventor e meus. Ai o que os humanos fazem! Cuidado Rodinhas! O Ventor uma vez, no Algarve, com uns miúdos, apanhou uma grande panela de caracóis. Tropeçou num arame farpado e voou por cima dos outros arames todos (belos tempos)! Depois, a pedido da nossa amiga Catarina, foi despejar os caracóis todos nas ervas, espalhando-os. Ninguém comeu caracóis! «Despejar? Era o que faltava» dizia a avó. Mas o Ventor arranja solução para tudo e os caracóis nunca mais foram apanhados. Adeus, Rodinhas, até à próxima. Bjs. Arodla.

Zé (do beco) disse...

Olá Aldora!
É assim a vida. Nem sempre é tão linear viver à nossa maneira (my way). Acho até que isso é pura utopia, por estarmos tão condicionados pela sociedade. Também tive que optar, muitas vezes, pelo lado prático e esquecer aquilo que gostava de fazer. A barriga manda mais do que todas as ambições da vida e só quem não passou pela necessidade de ganhar a vida, se pode dar ao luxo de fazer o que lhe dá na "gana". Mas faz-se (ou fez-se...) o que se pode e para chegarmos até aqui de cabeça levantada (alguns foi de cornos no ar eheheh), já é preciso ter algum espírito de sobrevivência.
Depois, quando já ninguém precisa de nós, deitam-nos para o "velhão", que é o equivalente humano do vidrão (piada gamada ao "Gato Fedorento" eheheh).
Beijinhos e boa semana.

Regina disse...

Minha doce Amiga Aldora.
Tudo bem com você?
Eu estou bem, graças a Deus.
Desculpe a sumidinha, estava com saudades de te visitar. Como dizem por aí, no Brasil o ano começa mesmo depois do carnaval, rs
Assim que passar o período de férias, tudo voltará ao normal.
Mas não me esqueci de você mesmo que esteja ocupada, meu coração está ligadinho nos amigos que aqui conquistei, e você é muito especial para mim.

Um beijo com todo carinho.
Regina

Cris Sueta disse...

Amiga querida,
lendo o seu post, lembrei de mim quando criança, não queria "Casar", pra quê? Ser empregada de marido? Pois é, casei 2 vezes. Queria ser "rica", morar numa mansão e ter muitos empregados. Depois de 30 anos, sendo bancária, consegui algumas coisas desse meu sonho. Mas quando se é criança temos o direito de sonhar qq coisa. Os sonhos vão mudando conforme os anos e a gente vai atrás deles, né?
Bem! Estou retornando das férias e tava com uma saudade danada docê.
Tenha uma bela semaninha.
Volto pra ler o resto da sua história.
Beijinhos sempre da Cris.

Castor (moi-je...ehe, ehe) disse...

O Tio Castor estava mesmo "down"...esta coisa do ordenado do homem da DGCI está a deixá-lo em baixo, coitadito do tio, tão preocupado que anda com o bem estar do não sei quantos. Como é que está o Rodinhas???? O tio agora tambem foi adoptado por um gatinho a que deu o nome de : "Alector Van Zeller". Palavra de sobrinho em como é verdade.

Filipe Freitas disse...

Toc...toc ... cheguei, finalmente !
Então relatas aqui um pouco dos anos da tua vida, para mais tarde recordar. Tempos que não esquecem, cada um de nós com os seus percursos, uns bons, outros "menos bons", mas faz sempre bem relembrar o passado para ter mais esperança para o futuro e não "adormecermos"...
Enguias ?... Que bom !... Adoro !!...
Beijinhos.

paraquedista disse...

E depois deste relato duma história de vida bem interessante, eu espero que ela a vida, te continue a sorrir e sempre em frente. Boa sorte.

Filipa disse...

Oi Mamã
Para fechar o dia vim ver como ficou o Rodinhas como vedeta de blog. Muito bonito claro está:) Muito obrigada por teres prescindido de tanta coisa por nossa causa. Apesar de tudo acho que és uma excelente artista, costureira e boa cozinheira também. Eis algo que desconhecia de ti...que gostavas de ser costureira e que não sabias cozinhar. Bjocas Filipa

Papoila disse...

Olá Arodla:
Este texto que nos contas da tua vida demonstra porque este canto é tão bonito e acolhedor. A tua arte está nele refelctida Arodla.
Quanto à culinári fez-me lembrar como comecei eu nestas lides. Nunca cozinhei nada antes de montar casa :) Quanto a matar galinha sou incapaz :)
Adorei ler-te. Escreve mais destes textos sobre ti :)
Beijo

oteudocoelhar disse...

Minha querida menina dos gatinhos...curioso saber e conhecer um pouco mais de ti...tinhas de ter algo que te ligasse á arte...desenhadora. Vê-se pelo amor com que crias estas mil e uma maravilhas...tinhas de estar ligada a algo criativo. Gostei. Bem também gostei de imaginar as enguias no meu prato num belo ensopado ;)...mas a 10 não deixa ;) ai que saudades dos petiscos...mas e só ainda lá vão 7 ainda falta um longo caminho a precorrer. Tenho saudades tuas...espero que esteja tudo bem. Beijinho grande n´oteudocoelhar sempre doceolhar *** Adorei o novo membro da família ;)

silvia disse...

BOA TARDE!!!
amiga venho te falar pra vc pegar o selinho de destaque no meu blog pois vc é destaque nele tá.
olha amiga
"A melhor alegria da vida é
saber que nunca estamos só,
que a cada momento renascemos
para a vida e em cada renascer
brota a alegria de saber que
existem pessoas como VOCÊ!!"
Beijokas no ♥

Susana disse...

Florzinha, que aventura com tuas enguias, hein??? Eu nunca comi as ditas cujas... e nem sei se teria coragem... hehehehehe!
mas a vida é assim mesmo, né? a gente aprende...
Aqui no Brasil costumamos dizer que, quando a água bate no bumbum a gente aprende a nadar!
Acho que é uma verdade e tanto!!!
Desculpe a ausência e o atraso pra desejar um ano novo repleto de coisas boas, mas muita coisa aconteceu...
Agora estou de volta, e passando pra pedir pedir perdão pelo sumiço, matar a saudade e deixar um beijo grande no seu coração!!!
Smackssss!

kika disse...

miguxxxaaa, passando pra deixar um beijão grandes prós Gatinhos... :)
com carinho
kika

silvia disse...

Querida Amiga ♥♥estava com saudades!! olha fiquei é muito feliz de ver o selinho de destaque e a musica pois é sinal de que vc gostou né? rs olha        
 A grande arte da vida é acordar depois de...  
 `*.) um sonho, levantar depois de um...
   ¸.•)   tombo, sorrir depois de uma decepção...
   (.•´  e nunca se desanimar!!!!
ﺊﺋﷲ“ “ﷲﺅﺊ  É olhar pra frente...
   ¸.•)   com a esperança da vitoria!!! 
   (.•´ Beijos!!com Carinho!!!