quarta-feira, dezembro 24, 2008

Feliz Natal

Porque não queria deixar em branco esta
época do ano aqui deixo a minha mensagem

Aquela magia toda guardada durante todo o ano
Venha presente nos corações daqueles que festejam o amor.
Que não apenas seja uma comemoração,
Mas um início para uma nova geração.
Trazendo-nos amor e esperança.
Que neste natal sejam confraternizados todos os desejos
De um mundo melhor.
Que todos estabeleçam um novo vigor de humanidade.
E que nada seja mais forte do que a união
Daqueles que brindam o afecto entre eles.
Feliz Natal e que 2009 seja o ano de realizações de todos seus sonhos.!!!
Com carinho,

Aldora

sábado, outubro 04, 2008

casaco crochet

Hoje trago como fiz este meu casaco acho o ponto bonito por isso deixo a receitinha em baixo pelo menos o meu gato pardalito gostou muito dele espero que gostem.




Para ver melhor as instruç~es clicar na imagem

sábado, setembro 20, 2008

Depois de muita ausência aqui estou a mostrar o que tenho feito nestes meses dediquei-me a fazer croché, meu marido continua doente e é uma forma de em qualquer lugar puder estar ocupada. Achei tão bonito este picô que resolvi partilha-lo
aqui as diversas fases que fui fotografando enquanto o fazia.
Tenho feito muita coisa falta-me a coragem para fotografar tudo depois coloco mais.
Obrigada por sempre aqui virem.











segunda-feira, abril 14, 2008

Depois das tempestades vem o sol e alegria volta
Foi o que me aconteceu, tive dias muito tristes, meu marido esteve muito doente foi internado no hospital, foi um susto muito grande que felizmente por agora passou, agora faz sol, mas tem a promessa que o tempo mau vai voltar outra vez, por volta de Junho ou Julho com uma terceira cirurgia mas até lá é muito bom ter ele junto a mim cheio de sol, obrigada as pessoas que souberam e me vieram logo acarinhar.





Você é Meu Presente do Céu
Eu rezei para que você viesse muito antes de nos conhecermos sem saber quem poderia vir.
Eu pedi a Deus que me mandasse um amigo, alguém escolhido só para mim, alguém que tivesse Fé e Sabedoria em seus atos.
Um amigo para ajudar-me e guiar-me nas tribulações diárias, já que sempre em nossa vida nós precisamos de alguém para ouvir o que dizemos.
Alguém que não nos julgará nem nos condenará, mas apoiará enquanto falarmos.
O caminho estreito que escolhemos seguir pode algumas vezes nos desanimar e ter um amigo para nos amparar na queda nos ensina a humildade.
Quando eu pedi a Deus para mandar-me um amigo, apesar de muitos que vieram e partiram, Ele me deu muito mais do que eu jamais pedi: Ele me mandou Você.
Agradeço, Senhor, por me mandares meu Amigo.
Agradeço a Você por aceitar ser meu presente, dado por Deus.
Por Ser Meu Amigo!

terça-feira, fevereiro 05, 2008

Para que o meu blog não deixe as datas principais do calendário esquecidas




O Carnaval Antigamente visto por mim
As raparigas solteiras passeavam, pelas ruas da aldeia, pois os rapazes corriam atrás delas para as farruscar com carvão.Os rapazes sujavam as mãos com carvão, e, lá iam eles todos contentes, a farruscar a cara das meninas.
As casas não eram fechadas com chave. Então os rapazes abriam as portas e deitavam caqueiradas (cacos velhos, farinha e latas) para dentro das casas. Punham gordura com farinha nas portas. Ficava tudo sujo e engordurado. Deitavam ovos podres ficando as ruas muito sujas
As raparigas mais ricas não se misturavam muito com os rapazes e passeavam em carroças enfeitas com flores feitas de papel de seda. As raparigas mascaravam-se com fatos regionais do Minho ou vestiam-se de espanholas, ou ainda com fatos dos pais ou dos irmãos, faziam bigodes com carvão e punham almofadas no rabo, lenços e chapéus na cabeça, para que ninguém as reconhecesse.
Atiravam saquinhos cheios de areia umas ás outras.
Os homens vestiam-se com fatos das mães e das irmãs. E fingiam ser viúvas ou matronas
Aproveitavam esta época de Carnaval para fazerem partidas a outros, sem que ninguém ficasse zangado.

Enfeitavam também os burros e as carroças.
Juntavam-se muitas pessoas mascaradas que se passeavam nas ruas da aldeia.
Normalmente passeava-se onde havias mais pessoas, junto à igreja e tabernas.
No final da tarde tinham que lavar as casas, e, de seguida, iam jantar.
O dia terminava com um grande baile, os bailes eram uma forma de começarem namoros. Quase que sempre estavam lá todas as pessoas da aldeia. As raparigas solteiras não podiam ir ao baile sozinhas, tinham que ser acompanhadas pela mãe ou alguém casado para as acompanhar.
Era um dia bem passado e muito divertido e com abertura de maiores libertinagens entre os jovens. Na quarta-feira era feito o enterro do Entrudo fingindo levar o morto iam gritando as crepideiras, piadas aos governantes ou a alguém da terra e assim terminava o Carnaval.

sexta-feira, janeiro 25, 2008


Um Poema de uma menina de 27 anos de quem sou fã
Hoje Faço 33 anos de casada. E sonhei quando me casei com um País diferente com um futuro de sonho, onde os cuidados de saúde a educação fosse uma prioridade para o nosso País se tornar o lugar bom de viver, estou desiludida o mais grave é sinto que não sou a única.


Esse amor...de Carolina Salcides
19.09.05


Esse amor me toca como uma gota de orvalho á uma flor
Um simples toque...Uma breve presença
Mas tão intensa e profunda
Que desabrocho e exalo esse amor ao mundo.

É tão pouco e, ás vezes nada
Penso estar só em mim...
Talvez só eu sinta assim
Mas sei que nada nem ninguém me fará sentir igual.

Esse amor não é daqui
Não é de agora
É de todas vidas
Pra toda eternidade.

Toca minha alma
Descompassa meu coração

Ás vezes me acalma
Noutras causa aflição.

Esse amor guardo no peito
Espero em cada lua cheia
Sinto mais forte em cada primavera
Sinto que falta em cada amanhecer.

Mas te tenho em mim...Mesmo que faça doer
Te encontro nos meus sonhos
Então tudo passa, nos beijamos e não dizemos nada
Nos amamos, simplesmente.