terça-feira, fevereiro 05, 2008

Para que o meu blog não deixe as datas principais do calendário esquecidas




O Carnaval Antigamente visto por mim
As raparigas solteiras passeavam, pelas ruas da aldeia, pois os rapazes corriam atrás delas para as farruscar com carvão.Os rapazes sujavam as mãos com carvão, e, lá iam eles todos contentes, a farruscar a cara das meninas.
As casas não eram fechadas com chave. Então os rapazes abriam as portas e deitavam caqueiradas (cacos velhos, farinha e latas) para dentro das casas. Punham gordura com farinha nas portas. Ficava tudo sujo e engordurado. Deitavam ovos podres ficando as ruas muito sujas
As raparigas mais ricas não se misturavam muito com os rapazes e passeavam em carroças enfeitas com flores feitas de papel de seda. As raparigas mascaravam-se com fatos regionais do Minho ou vestiam-se de espanholas, ou ainda com fatos dos pais ou dos irmãos, faziam bigodes com carvão e punham almofadas no rabo, lenços e chapéus na cabeça, para que ninguém as reconhecesse.
Atiravam saquinhos cheios de areia umas ás outras.
Os homens vestiam-se com fatos das mães e das irmãs. E fingiam ser viúvas ou matronas
Aproveitavam esta época de Carnaval para fazerem partidas a outros, sem que ninguém ficasse zangado.

Enfeitavam também os burros e as carroças.
Juntavam-se muitas pessoas mascaradas que se passeavam nas ruas da aldeia.
Normalmente passeava-se onde havias mais pessoas, junto à igreja e tabernas.
No final da tarde tinham que lavar as casas, e, de seguida, iam jantar.
O dia terminava com um grande baile, os bailes eram uma forma de começarem namoros. Quase que sempre estavam lá todas as pessoas da aldeia. As raparigas solteiras não podiam ir ao baile sozinhas, tinham que ser acompanhadas pela mãe ou alguém casado para as acompanhar.
Era um dia bem passado e muito divertido e com abertura de maiores libertinagens entre os jovens. Na quarta-feira era feito o enterro do Entrudo fingindo levar o morto iam gritando as crepideiras, piadas aos governantes ou a alguém da terra e assim terminava o Carnaval.